A história de Valerie

Sou de Tenerife, moro lá há muitos anos. Meu sobrinho estava na Holanda trabalhando.

Precisava trabalhar, então arrumei minha mala e fui para a Holanda em busca de oportunidades. Agora tenho dois meses e aqui conto minha experiência.

Fiquei um pouco assustado no início, porque no final é normal, mas me enchi de confiança para enfrentar a aventura.

O processo de seleção foi bastante rápido, cheguei na Holanda e eles me pegaram para me levar ao escritório.

Uma vez lá, eles me deram a casa.

No trabalho estou super feliz, eles explicam bem e eu me adaptei perfeitamente. Eles te explicam com tanto amor, que você aprende rápido e são super amigáveis.

 

Há tanto trabalho, que não há tempo para muito. Eu trabalho 5 dias por semana e é cansativo. Você anda muito, mas eu gosto.

Tendo sido uma garçonete, venho trabalhando 12 horas em pé e isso é um pedaço de bolo.

Nos dias de folga, aproveito para descansar, fazer trabalhos domésticos e ir ao centro da cidade fazer compras e passear.

Eu fico muito frio de bicicleta no inverno e me dá dor de estômago, agora vou pedir para mudar de empresa para uma mais próxima. Eu gosto da moto, mas não no inverno.

Por fim, gostaria de recomendar esta experiência a todos que procuram uma oportunidade de trabalho com um bom salário.

 

A história de Braian

Braian’s adventure did not begin by chance, his sister has been working with T&S Holanda for a year and was the one who recommended that he live an experience like the one she was enjoying.

At that time, Braian applied for one of our offers through the website from which you are reading this blog.

The protagonist of this story tells us that the process was very fast and in just two weeks she was already in the Netherlands with work and accommodation.

Braian, a Colombian, admits that at first he had fears and doubts. He does not tell the following: “I had nerves and doubts, it is a new country where Spanish is not spoken. Think that I am Colombian and I have already experienced the change from Colombia to Spain and it was easy because of the language. This was a challenge.

His goal in the Netherlands is to save money to pay for his university degree in Fine Arts. As Braian tells, the cost of the materials used in this race is high.

In pursuit of this goal, he decided to leave during peak work season, where he knew he would be working long hours and would be able to save. After a month working there, she has realized that she is comfortable and wants to continue longer than she had planned.

At work, she highlights the friendliness of her colleagues and the heavy workload she has. He tells us the following: “The fact of having so much work makes you socialize with the person next to you because you are not going to be silent for 9 hours. You are interested in the other person and you get to know the most human side of your colleagues.”

Lastly, we talked about what he did on a day off. Braian told us that he takes the opportunity to do housework and above all, rest. Although the work is simple, he is very tired. He admits to us that during breaks from work is when the time of his life goes by faster.

We want to thank Braian for the time he has dedicated to us and we sincerely hope that his experience continues to be satisfactory and that he achieves all his goals.

A história de Gina

Gina landed in the Netherlands without knowing anyone, she didn’t know what the future would hold, but she wasn’t afraid. She already had experience dealing with this type of situation abroad.

She ventured to live this experience since she does not have children or anything that ties her to a specific place, so it was easy to make the decision.

Once there, she confesses that people seemed colder and perhaps also more distrustful than her in Spain, but little by little she has been adapting to her culture and her vision is changing.

In the first weeks, she had doubts, since you do not know what she is going to present there, but the work of Lucía (recruitment consultant) stands out, who knew how to advise and resolve all her doubts. Now that she is there, she confirms that everything is being just as Lucia told her.

Regarding work, Gina tells us that she is performing tasks in the logistics sector such as: picking, packing and order preparation. It is a bit tiring job, since you spend many hours on your feet and on the move.

The work itself is not heavy, but you do end up tired. What she’s most appreciative of is that overtime, weekends, and night shifts are paid very well.

Also, Gina is very happy with her colleagues and supervisors, who she describes as very nice. She tells us that they give their best to make you feel at home.

Regarding her roommates, she is super happy. She tells us the following: “I consider that I have been very lucky, with co-workers and with the people with whom

I live together. I have a very good relationship with everyone. “

On the other hand, the worst thing she is dealing with is the cold. In these winter months she confesses to us that it is hard.

Something that she is very satisfied with is her continuous improvement with English. She tells us that she arrived with a very basic level and that, as time progresses, she is awakening.

Finally, on her days off, she takes advantage of it to rest, do housework and little else. When she buys a bicycle, she will take the opportunity to visit cities and see more places in the country.

 

A história de carlos

Carlos’s story begins when a friend of his who was working with our agency in the Netherlands, recommended this experience to Carlos.

A month later, he decided to make the decision to live this work adventure. He passed the interview with Lucía (recruitment consultant) and values the attention he received from her very positively.

Carlos comes from Tenerife and upon arrival he was surprised that half the island was there working.

His main objective was to have a work experience abroad. Carlos has been in Madrid, Barcelona and now he was looking to leave the country.

With the agency he found the advantage of arriving in the Netherlands with home and work, which simplifies the whole process. At that moment he said to himself: “We are going to live the experience, if it goes wrong I can always come back, it is close.”

He remembers his arrival positively, despite being used to the fantastic climate of the Canary Islands, Carlos loves winter clothes and the cold. Also, he loves to be around people of all nationalities.

He is now living in the city of Tilburg and is delighted with the accommodation and his companions.

He shares a room with a partner, with whom he is living perfectly. Even so, he has written to the housing department, to see if he can move to the single room that he will stay free at his house.

His intention right now is to stay for a long time, in January he will return to Spain and wants to take his car and drive him up to the Netherlands. In this way he will achieve more independence.

At work he is very happy. Good conditions, simple work, breaks are respected and it is very comfortable. Colleagues and bosses are very friendly and help you with any problems or questions that may arise.

Carlos firmly believes that it is a worthwhile experience: “I doubt that in Spain there are jobs like here, with unlimited coffee, soup … and the breaks practically force you to do them.”

He now he is focused on working and saving, so he is doing 6 days a week. When the high season comes down, he will take the opportunity to travel and get to know the country.

Finally, Carlos wants to mention Carol (Brazilian partner) and Juan (partner from Catalonia). They both welcomed him with open arms and made his adaptation process instantaneous.

A história de Alba

Alba was diving into the depths of InfoJobs looking for a job opportunity where no previous experience was necessary. Suddenly, one of our offers appeared and without hesitation, she sent her application.

She acknowledges to us that, once she applied, she realized that the offer was in the Netherlands, so she jump into the adventure.

After applying for the offer, she was ready to go in September and did the interview to be able to live this experience.

The interview was successful and she tells us that the process was very fast.

Some time ago, she was traveling in Holland and fell in love with the country. Her goals with this new stage of her life were: to become independent and live alone abroad in order to grow as a person and learn English.

The first of the objectives she is fulfilling it without problem, the second becomes more complicated since where she lives and works there are many Spaniards and she is not practicing English that much.

 

Alba did not have a bed of roses to feel as she feels today. At the beginning, she tells us that she was very depressed, not knowing why she had left. The following weeks she gradually adjusted and felt a little more Dutch. As she says: “It was the adaptation process, she had to get the chestnuts out of the fire by myself and wake up.” She now she is very adapted to her new life.

As for the job, Alba is delighted and tells us the following: “of the few jobs I have had, this one is the best.”

She does not like public-facing jobs and she finds her tasks simple and dynamic. She even thinks that the 8 hours that she spends there are short.

In addition, she stands out above all, the good atmosphere that she has with her colleagues.

Finally, Alba tells us about how she lives a day off. If she has money, she takes the opportunity to tour Holland and discover new places. On the contrary, if she is short of money, she takes her bike and travels around the place where she lives and takes the opportunity to take photos in the nearest town or the forest.

We want to thank Alba for the time and kindness she has given us during this interview. We hope that everything continues to go as well and that you meet all your goals.

A história do Álvaro

Um bom amigo de Álvaro viajou para trabalhar na Holanda em Março, regressou no Verão e contou a Álvaro a sua experiência. Explicou em detalhe como tinha sido a sua experiência, que documentos precisava para poder viajar e a sua experiência de trabalho.

Uma vez digerida a informação, Álvaro contactou a agência TenS Holland para se candidatar a ofertas de emprego e para poder viver a mesma experiência que o seu amigo.

 

O seu consultor de recrutamento foi Lucía, que conduziu a entrevista e o aconselhou no seu caminho para os Países Baixos. Álvaro diz-nos que o processo de selecção foi realmente rápido e eles facilitaram-lhe muito tudo.

O seu objectivo nesta aventura era poupar dinheiro para poder pagar um curso que está a estudar em programação informática.

Álvaro confessa que os seus primeiros dias não foram nada fáceis e que levou algum tempo a adaptar-se à mudança de país e de cultura. Garante também que alguns dias mais tarde já estava integrado e adaptado.

No meio da sua aventura, regressou a Espanha para fazer um exame para o seu curso de programação, mas depois de passar o exame, quer regressar aos Países Baixos.

 

Em termos de trabalho, Álvaro está muito satisfeito com a sua experiência. Ele destaca a empresa, o bom ambiente entre os colegas e reconhece que as tarefas eram fáceis para ele, pelo que era muito suportável.

Álvaro tem vivido em Breda com o amigo que recomendou esta aventura. O único aspecto negativo que queria destacar era que viviam num hotel e nos dias em que chegavam atrasados do trabalho a cozinha estava fechada e não conseguiam comer nada.

Por outro lado, o seu amigo recebeu um carro com o qual se deslocou para o trabalho e para o supermercado.

Nos seus dias de folga, Álvaro aproveitou a oportunidade para visitar cidades como Tilburg ou Roterdam (sempre que o tempo estava bom). Ele ficou impressionado com a beleza destas cidades e o elevado nível de vida.

 

Finalmente, Álvaro recomenda esta experiência aos seus amigos e mesmo ao seu irmão. Nós da TenS Netherlands gostaríamos de lhe desejar o melhor para o seu curso de TI e assim que quiser voltar, estaremos aqui para si!

A história de Jeanette

Com seus filhos mais velhos e independentes, Jeanette acreditava que era sua hora. Acostumada a trabalhar meio ano na Suécia e a outra metade em Tenerife, de repente a pandemia chegou e esta a manteve trancada em casa por 8 meses, gerando uma depressão e a necessidade de mudar de cenário.

Um belo dia, ele se deparou com uma oferta para trabalhar na Holanda no InfoJobs e, a partir de então, tudo mudou.

Ele se candidatou e, de uma semana para outra, já estava na Holanda. Jeanette quer destacar o trabalho de Alessandra, que foi a consultora de recrutamento que a entrevistou e a ajudou nessa experiência.

Agora, meses depois, ela não poderia estar mais feliz com a decisão que tomou de viver esta aventura.

Quanto à acomodação, a princípio ela não gostou das casas que recebeu, mas rapidamente a transferiram para as novas acomodações. Ele admite que as instalações são muito boas, mas teve alguns problemas em morar com os colegas porque eles não atenderam e teve que persegui-los.

 

Mais tarde, sua filha veio trabalhar para a T&S Holland e pediu à agência que permitisse que ela fosse morar com ela. Seu desejo foi atendido e ela poderia morar com a filha e uma amiga dela. Atualmente a filha dela se foi, mas ela mora em uma casa a 5 minutos do trabalho, com 4 pessoas maravilhosas com quem a convivência é muito boa. Também se destaca a boa relação que mantém com Juanjo, com quem também trabalha.

Quanto ao local de trabalho, no início foi difícil para ele se adaptar ao cargo e para eles também. Terminado o processo de adaptação, ele conta que o ambiente de trabalho é muito bom.

Jeanette conta-nos: “Conheço colegas da agência que trabalham noutras empresas e dizem isso como na minha empresa, em nenhuma”.

Além disso, Jeanette vai começar a sair com seus colegas de trabalho e se socializar um pouco com eles. Ele também reconhece que é uma pessoa muito calma e caseira.

Por fim, Jeanette recomenda esta experiência a todos e seu filho está pensando nisso. Ela quer atingir a meta de ficar lá indefinidamente, conseguir uma casa para ela e voltar sozinha a Tenerife para uma visita.

Da T&S Holanda, queremos que todos os seus objetivos sejam cumpridos e estamos felizes por você estar aproveitando esta nova fase da sua vida.

A HISTÓRIA DE JORGE

Jorge estava à procura de uma mudança de cenário e contactou um amigo seu que vivia na Holanda. Disse-lhe que estava hesitante entre estudar para um diploma de ensino superior ou ir trabalhar para o estrangeiro. A sua primeira escolha foi ir para os Estados Unidos, mas o seu amigo convidou-o a experimentar a experiência de viver e trabalhar na Holanda.

 

O seu amigo tem um conhecido que trabalha com a TenS Holanda, e como ele está muito feliz, recomendou ao Jorge que se candidatasse através desta agência de trabalho temporário.

Enviou o seu CV e, no prazo de dois dias, recebeu uma chamada informando-o das condições das ofertas e assim por diante. Após a entrevista, levou apenas uma semana a chegar aos Países Baixos.

Agora está muito satisfeito com a sua decisão de ir para a Holanda, embora admita que no início foi difícil para ele adaptar-se. Jorge estava muito habituado às suas rotinas em Espanha e tinha medo de chegar a um país que não conhecia.

O seu objectivo com esta experiência tem sido trabalhar o mais possível e poupar dinheiro, voltar para o Natal e desfrutar da sua família.

 

Uma vez terminado o Natal, quer regressar aos Países Baixos e procurar alojamento mais perto do trabalho.

Quanto ao seu alojamento actual, admite ter tido muita sorte, uma vez que quatro pessoas vivem numa casa e há quatro quartos. Ele não teve de partilhar um quarto, o que é normalmente o caso.

 

Quanto ao seu trajecto de casa para o trabalho e vice-versa, Jorge costumava viajar de carro com o serviço de transporte, onde um motorista o apanhava, mas agora isto mudou e ele anda de bicicleta e demora um pouco mais de meia hora. Pediu emprestada a sua bicicleta a um amigo e não funciona muito bem. 

 

Na frente do trabalho, ele diz: “Não vos estou a mentir, adoro o meu trabalho, para mim é como jogar tetris”.  Ele diz-nos que o seu supervisor lhe perguntou se estava a achar o seu trabalho difícil e Jorge respondeu: “Eu não acho difícil, acho-o muito divertido”.

Também adora o ambiente de trabalho e a relação com os seus colegas. Agora foi transferido para um turno diferente, mas rapidamente se uniu aos seus novos colegas.

Depois do trabalho, aproveita a oportunidade para descansar e leva a sua consola consigo para se desligar.

Num dia de folga, aproveita para dar um passeio com alguns amigos, ir aos bares e, se for altura de sair para festejar, então também não há problema.

Por outro lado, ele gosta de fotografar paisagens e está a desfrutar das maravilhas da Holanda.

 

Ele tem dois amigos que estão descontentes com outra agência e Jorge recomendou-lhes que mudassem para a sua agência, pois ele está muito feliz. Ele também recomendou ao seu pai que aproveitasse esta experiência.

Agradecemos muito o seu tempo na entrevista e estamos contentes por estar a desfrutar desta aventura. Esperamos vê-lo de volta depois do Natal e esperamos que tudo continue a correr bem.

A história de Ana

A forma de Ana começar a sua aventura connosco pode ser considerada cómica e fortuita. Uma amiga do seu namorado estava a trabalhar na Alemanha, e tanto Ana como o seu namorado começaram a procurar agências para seguir os passos da sua amiga e trabalhar na Alemanha.

 

Procurando ofertas para emigrar para a Alemanha, depararam-se com uma oferta da TenS Holland para trabalhar na Holanda e candidataram-se. 

 

A agência recebeu os currículos de Ana e do seu parceiro e preparámo-nos para lhes telefonar a explicar as ofertas e assim por diante. Ana não se lembrava que se tinha candidatado, por isso rejeitou a chamada. Logo se apercebeu do seu erro e respondeu à chamada. Uma vez que tudo lhe foi explicado, pensaram sobre isso durante alguns dias.

Felizmente, Ana encontrou um conhecido que tinha ido com a nossa agência para trabalhar na Holanda e esta pessoa deu-lhe a confiança necessária para tomar a decisão de tomar a aventura.

Na altura da entrevista, Ana tinha 20 anos e a vaga exigia uma idade mínima de 21 anos. Assim que completou 21 anos, enviou toda a documentação e lembra-se que o processo foi muito simples e rápido.

Assim que chegou à Holanda, teve de se adaptar a uma nova cultura e confessa que isto foi algo que no início lhe pareceu um pouco difícil.

Uma vez ultrapassado o processo de adaptação, ele está a sair-se muito bem. Ela tem um alojamento em Hoeven que adora, onde vive com amigos e eles têm um pátio.

Ana diz-nos que, no início, no seu alojamento, havia duas pessoas com as quais não tinham qualquer relação, mas com as quais saíram. Nessa altura, Ana e o seu parceiro aproveitaram a oportunidade para perguntar à agência se um amigo poderia ir viver com eles. Felizmente, foi possível. Depois entrou outro tipo, e agora formaram um grupo que é como uma família lá.

O trabalho que ela está a fazer é muito monótono e na altura da entrevista ela pediu uma mudança de emprego, com o objectivo de encontrar uma empresa onde se sinta mais motivada. Agora, uma semana após a entrevista, encontrámos uma empresa para Ana e o seu parceiro, onde lhes desejamos tudo de bom.

Os seus principais objectivos são poupar dinheiro, experimentar a aventura e descobrir um país onde nunca esteve antes.

 

Viaja normalmente a pé ou de transporte público, e diz-nos que uma vez que foram visitar a cidade de Antuérpia (Bélgica) de autocarro e isso só lhes custou 11 euros. 

 

Ana recomenda esta experiência, porque se o seu objectivo é trabalhar no estrangeiro, esta é a forma mais fácil de sair do seu país. Chega ao seu novo destino e já tem um emprego, alojamento e até seguro de saúde. Como diz Ana: “eles dão-lhe muitas facilidades”.

A história de Sandra

“Coincidência” foi o que levou a nossa candidata de hoje, Sandra, de Lanzarote, a partir para uma nova aventura com a T&S.

 

A nossa ilhéu é uma nómada com paixão por viajar, por isso não foi a primeira vez que ela começou uma nova vida fora de Espanha. Noruega, Canadá ou Inglaterra são alguns dos muitos lugares onde ela teve a oportunidade de trabalhar ao longo da sua vida.

No início, Sandra diz-nos que o seu objectivo era estabelecer-se permanentemente na sua ilha, mas o coronavírus virou todos os seus planos de pernas para o ar. Ela procurou nas ofertas de emprego e encontrou as nossas e pensou “porque não? E hoje, ele vive em Waalwijk há três meses.

Ele sente-se muito em casa na sua companhia, Bresc, que ele descreve como “muito familiar”. Por outro lado, ele não pode dizer nada de mal da T&S: “Tudo o que me disseram no início é 100% exacto”.

 

No que respeita ao alojamento, vive no centro da cidade com três colegas de origem polaca com os quais se sente muito confortável, apesar de dificilmente conseguirem comunicar um com o outro, pois mal falam inglês. Ela diz que tem dificuldade em encontrar pessoas que lhe sejam semelhantes, uma vez que a maioria delas são muito jovens, mas mesmo assim, está feliz porque se considera uma pessoa muito independente: “Eu faço o que quero fazer”

 

 

 

Há algumas semanas, trouxe o seu carro das Ilhas Canárias, o que lhe permite visitar as diferentes cidades holandesas, que ela considera quase idênticas. Finalmente, ela sublinha o modo de vida holandês: “eles trabalham e vão directamente para os bares”.

Ela ainda não sabe quanto tempo quer ficar na Holanda. Não te preocupes Sandra, vais descobrir, continua a desfrutar desta experiência e boa sorte para ti!

 

Gostaria de viver uma experiência semelhante? Teremos todo o prazer em recebê-lo para desfrutar da mesma oportunidade que Sandra, por isso não espere mais!